Por Leandro Oliveira.

É notório para qualquer leitor deste site, a simpatia que temos pelo Deputado Federal Jean Wyllys (PSOL). Essa simpatia deve-se ao posicionamento digno e correto que Jean tem com questões relacionadas aos Direitos Humanos, nomeadamente com a causa LGBT. Em entrevista divulgada nesta segunda-feira pela Folha de São Paulo para o UOL, Jean Wyllys nos presenteia com vários de seus posicionamentos (conforme pode ser visto aqui).

Lógicamente que as declarações de Wyllys causaram polêmica, ora por ser um deputado que fala verdades que felizmente fogem do senso comum, ora pela forma de abordagem dos portais ser um pouco sensacionalista ressaltando questões que mexem com o emocional das pessoas. Enfim, de qualquer forma, a gente separou algum dos trechos memoráveis desta entrevista que “causou” nas redes sociais nesta manhã pós-natal.

Sobre o PLC122:

“O código penal não prevê a motivação homofóbica” - Jean Wyllys explica a necessidade de se tipificar os crimes com motivação homofóbica e explicando a necesidade do PLC122.

“O projeto prevê a proteção da comunidade LGBT contra a injúria e contra o impedimento do direito”.

“As religiões tem liberdades para propagar seus valores, a sua concepção de vida boa. E os pastores são livres para dizer que a homossexualidade é pecado. Mas não podem demonizar e desumanizar a comunidade LGBT em espações públicos ou concessões de TV, pois isso é uma injúria.” - Sobre a idéia divulgada de que as igrejas seriam censuradas com o PLC122.

“O que é inaceitável é igrejas pregarem a cura contra homossexuais, pois homossexualidade não é doença.”

“Os homossexuais são vítimas de uma violência específica.” - Não é somente a violência urbana comum à todos, os homossexuais possuem uma vulnerabilidade maior por serem homossexuais.

“Nos púlpitos, os religiosos têm direito de dizerem o que quiserem. Em concessões e espaços públicos não, pois fere o principio constitucional da dignidade humana.”

Sobre o casamento:

“A decisão do Supremo é relevante e bem-vinda, só que a decisão do STF não é uma lei. E nem todos os cidadãos têm acesso a justiça. Então uma jurisprudência não pode garantir direitos a uma população.” - Perfeito pra quem acha que homossexuais já tem seus direitos garantidos.

Jean Wyllys também falou rapidamente sobre a PEC pelo casamento igualitário, que você pode ver aqui.

“Estamos falando casamento civil, óbvio” - Sempre importante ressaltar, né?

“Casamento LGBT não é um tema bom pra incluir em plebiscitos, pois a populção não tem informações necessárias acerca do assunto. Além disso, direitos fundamentais não são julgados plebiscitos.” - Sobre a tentiva covarde de alguns parlamentares de quererem colocar o tema a voto popular. Já falamos sobre isto também aqui.

Quanto aos parlamentares:

“Mais da metade dos parlamentares está propensa a entender as demandas, mas a grande maioria prefere se silenciar.” - Infelizmente temos um congresso covarde, que se silencia frente a ameaça de difamação por parte do fundamentalismo religioso.

“Os inimigos declarados da causa LGBT no Congresso, são, de alguma maneira, toda a frente parlamentar cristã. Com algumas dessas pessoas, felizmente, podemos dialogar. Mas de uma maneira muito generalizada os grandes inimigos da pauta LGBT são os parlamentares desta frente.”

Sobre o modelo de política praticado no Brasil:

“Sou a favor de acabar com o curral eleitoral, com as capitanias hereditárias. Não sou a favor do voto distrital. Sou a favor do voto em lista, da candidatura avulsa (ou seja, que não precisa vir de um partido e sim de um movimento social).”

Portanto, se você também concorda com o Deputado Federal Jean Wyllys (PSOL) mostre seu apoio no Facebook clicando aqui.

Vamos também comentar na entrevista do Jean Wyllys na Folha. Está sendo dito muito absurdo por lá >> Entrevista na íntegra.

Ahh, também vamos compartilhar com vocês este desenho bem legal elaborado pelo pessoal do Saliva Gasta. Por que as vezes só desenhando, né?

Bancada Evangélica x Homossexuais