Por Leandro Oliveira

Infelizmente, existem poucos partidos que se declaram completamente a favor da cidadania LGBT. Todos têm alinhamento ideológico com a esquerda e possuem pouca expressividade (do ponto de vista quantitativo), com exceção do PSOL, que vem aumentando sua presença e sua importância no Congresso Nacional nos últimos anos.

Os partidos abaixo possuem posicionamento favorável aos LGBT:

PSOL – Partido Socialismo e Liberdade

De todos os partidos que o Brasil possui hoje, o PSOL é de longe o mais diferente, coerente e combativo, não só em relação aos direitos LGBT, mas também em relação aos direitos humanos em geral: o partido tem feito campanha pelo voto aberto no Congresso Nacional, contra o trabalho escravo, pelos direitos civis de minorias e contra a corrupção.

Com três deputados federais e um senador, o partido tem sido uma importante voz da população dentro do Congresso Nacional: foi o único que votou contra o aumento do salário dos parlamentares em 2010, votou contra o novo código florestal e é o único que não possui candidatos processados na justiça.

Este ano, todos os congressistas do partido foram indicados ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores políticos do Congresso.

Mesmo novo (foi criado em 2004), o histórico de defesas e proposições favoráveis à população LGBT é extenso. O PSOL foi o primeiro a colocar um beijo gay na propaganda eleitoral e é o partido de Jean Wyllys, primeiro deputado federal abertamente gay e defensor das demandas da população LGBT. O político é membro de diversas frentes parlamentares e presidente da Frente Parlamentar pela Livre Expressão Sexual. Foi considerado uma das personalidades mais influentes em 2011 pela Revista Época e em 2012 pela Revista Isto É e foi indicado duas vezes ao Prêmio Congresso em Foco como Melhor Deputado Federal, tema de diversas publicações que consideraram seu mandato um dos mais relevantes dos últimos anos. Um exemplo é o jornal britânico The Guardian, que comparou a atuação de Jean Wyllys a do ativista americano Harvey Milk. Por tudo isso, não é de se surpreender que seu mandato cause tanto incômodo:não foram poucas as vezes que Jean Wyllys foi caluniado e até ameaçado de morte. Atualmente, ele encabeça a maior campanha pelo Casamento Civil Igualitário já proposta no Brasil, que tem engajado artistas, políticos e a sociedade em prol de um direito que avança em diversos países no mundo.

Além de Wyllys, destaca-se também a ex-senadora Marinor Brito, que teve seu mandato interrompido no ano passado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal e foi substituída pelo “ficha suja” Jader Barbalho. Mesmo no curto espaço em que esteve no Congresso, Marinor enfrentou políticos homofóbicos e discursou diversas vezes em prol da comunidade LGBT.

 

O PSOL também é a primeira sigla a ter um candidato a prefeito assumidamente gay no país:  Renan Palmeira de João Pessoa, na Paraíba.

A frase “A luta pelo direito a livre orientação sexual é uma luta nossa” resume o comprometimento do partido com os LGBT. Por isso, pode-se afirmar que o voto em qualquer candidato do PSOL é certo, sendo LGBT ou não.

PCdoB – Partido Comunista do Brasil

É o partido da ex-deputada federal e candidata a prefeita Manoela D’Ávila (RS), uma das maiores aliadas da causa LGBT. O vereador Dr. Manoel Álvares Sobrinho defendeu o programa Escola Sem Homofobia em Maringá. Em São Paulo, o vereador Jamil Murad votou contra o reacionário Dia do Orgulho Hétero.

Vale prestar atenção nas coligações do PCdoB, feitas com partidos nem sempre muito bons para a cidadania LGBT.

PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado

Totalmente simpático à causa, o candidato a presidência em 2010, Zé Maria, discursou a favor dos LGBT e assinou o termo de compromisso da ABGLT. O PSTU também fez campanha contra a homofobia nas últimas eleições presidenciais.

PPS – Partido Popular Socialista

Também possui um bom posicionamento em relação às questões LGBT. A candidata à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, é totalmente a favor da cidadania LGBT.

PCB – Partido Comunista Brasileiro

É um partido minúsculo que costuma fazer coligação com siglas pró-LGBT. O candidato à presidência da república em 2010, Ivan Pinheiro, se posicionou a favor do casamento igualitário.

Orientação de voto:

Saiba mais sobre a série “Eleições 2012” e orientação de voto clicando aqui.
.

(Visited 3.734 times, 2 visits today)