Por Leandro Oliveira

Mesmo sendo um estado laico, o PSC tem utilizado de seu espaço na política para transformar o Congresso Nacional em um verdadeiro púlpito fundamentalista. Com 17 Deputados Federais (sendo que 3 destes sofrem processos na justiça) o partido propõe leis cristãs antidemocráticas, persegue minorias sexuais e religiosas e até mesmo canta hinos de louvor na Câmara.

Não é de se surpreender, portanto que o partido seja o que mais possui membros na Bancada Evangélica (são 11 no total). Mas toda esta “santidade” do partido não impediu que 08 dos seus 11 deputados federais em 2010 votassem a favor do aumento do próprio salário em 62%. Além disso, 14 deputados do PSC votaram a favor da PEC 99 do também fundamentalista religioso (só que do PSDB) João Campos.

O blog “Fiscais do Fiofó” elencou diversas facetas fundamentalistas no congresso e o PSC aparece em várias.

No que diz respeito aos LGBTs o partido consegue ser pior.

No ano passado a propaganda eleitoral de Partido Social Cristão discriminava declaradamente todas as famílias que não pertencessem ao modelo – pai, mãe e filhos. O único vereador do partido em São Paulo, também votou a favor do Dia do Orgulho Hétero.

Entre os principais opositores da cidadania LGBT estão:

Carlos Cezar, Deputado Estadual de São Paulo, pastor evangélico da Igreja do Evangelho Quadrangular e Coordenador da Frente Parlamentar Evangélica da Assembléia Legislativa de São Paulo, afirmou em entrevista ao G1 no ano passado ser contra o dia de combate a homofobia e também citou a criação do reacionário dia do orgulho hétero para o estado de São Paulo.

Os Deputados Federais Marcelo Aguiar (SP) e Lauriete (ES), juntamente com o ex-lutador e agora Deputado Acelino Popó (PRB-BA)apresentaram na câmara projeto de lei que proibia o governo de instituir conteúdo de ensino que afronte valores familiares. Um dos alvos do projeto era o “Programa Escola sem Homofobia”.

E Marco Feliciano, Deputado Federal por São Paulo, e pastor evangélico tem promovido perseguições a LGBTs e minorias religiosas. Em um de seus ataques no twitter, o Deputado chamou a homossexualidade de doença, em outro, fez declarações racistas.  O pastor talvez seja um dos maiores exemplos do fundamentalismo religioso na política e representa um perigo a democracia e ao estado laico.

Supreendentemente o relator do processo contra Bolsonaro foi do PSC. O Deputado Federal Sérgio Brito (BA) foi a favor da continuidade da representação que pretendia cassar o mandato de Bolsonaro (PP-RJ) no Conselho de Ética. Infelizmente o processo foi arquivado.

Mesmo assim, um pingo de lucidez em um mar de fundamentalismo não vale o seu voto. Votar no PSC é votar contra o estado laico, contra a democracia e contra os direitos individuais das minorias.

Orientação de voto:

Saiba mais sobre a série “Eleições 2012” e orientação de voto clicando aqui
.