Por Leandro Oliveira

O Partido Socialista Brasileiro é um bom partido para LGBT, mas alguns números em relação a políticos processados e posicionamento em importantes votações devem ser levados em consideração ao se optar pelo partido.

Então vamos começar com os pontos não muito bons. O PSB possui 4 Senadores e 6 Governadores, sendo que destes 2 sofrem processos na justiça. O partido possui ainda 29 Deputados Federais eleitos, entre os quais 3 sofrem processos na justiça. Recentemente rumores davam conta de que o partido se coligaria com o PSD (Partido Social Democrático), um partido formado por ex-membros do DEM, além de parlamentares evangélicos.

Ainda sobre os Deputados Federais, é importante ressaltar duas importantes votações do partido. Dezesseis dos seus dezenove Deputados Federais em 2010 votaram a favor do aumento do próprio salário em 62%. Ano passado vinte e sete dos trinta Deputados votaram a favor do Novo Código Florestal. Somam-se a estes números quinze Deputados Federais do partido que assinaram a PEC 99 de João Campos (PSDB) que pretendia dar poderes a associações religiosas de sustar atos do Judiciário.

Ainda em 2010, o Partido Socialista Brasileiro teve catorze candidatos barrados pela Lei da Ficha Limpa.

Entretanto no que diz respeito aos LGBT o partido não se mostra homofóbico e apresenta cada vez mais disposto de abrir o diálogo também com esta parcela da população.

Além de diversos textos em seu site oficial, mostrando-se favorável aos direitos desta população, em 2011 o partido divulgou a intenção de incluir as reivindicações dos LGBT em seu programa eleitoral e criou uma Executiva LGBT para tratar destas questões.

Em março, esta executiva discutiu um Plano de Ação para 2012, visando ações políticas e alianças com o movimento LGBT nacional.

Surgiram alguns políticos interessantes este ano e que tinham como foco a cidadania LGBT.

Dentre eles a candidata à prefeitura de João Pessoa na Paraíba, Estelizabel Bezerra, que defendeu abertamente o casamento igualitário.

E a vereadora de João Pessoa, Sandra Marrocos, que discutiu com a vereadora Eliza Virgínia (PSDB) após esta última fazer uma fala homofóbica e fundamentalista na câmara de vereadores da cidade. Sandra defendeu o direito a União Homoafetiva de LGBT no debate em questão.

O partido também foi um importante articulador na III Marcha Contra a Homofobia que aconteceu em Brasília no último dia 16.

O PSB é um partido interessante, mas um LGBT consciente vota em candidatos comprometidos com a ética em todos os níveis. O partido tem abertura para bons políticos é só preciso estudar mais a fundo os seus candidatos.

Orientação de voto:

Saiba mais sobre a série “Eleições 2012” e orientação de voto clicando aqui.