Personalidades a favor do Casamento Igualitário

Por Marcelo Gerald

Estes dias tive uma surpresa boa num dos tópicos da Homofobia Já Era, alguns membros estavam fazendo um levantamento sobre o apoio de famosos, marcas, empresas, juristas, religiosos, políticos, ativistas e intelectuais a favor do casamento igualitário. Este post é fruto do trabalho dos membros desta comunidade.

O nosso país passa por uma onda de conservadorismo, apoiada até mesmo pela presidenta da República, que confunde casamento civil com religioso, provavelmente de maneira proposital pra agradar a sua base conservadora.

Vejo como de grande importância dar destaque a pessoas que se posicionam e a discursos que pregam a igualdade de direitos plena, algumas das falas que estão aqui não são tão diretas, como a de Clint Eastwood que mostra indiferença ao dizer que não se interessa com quem qualquer um queira se casar. Eu particularmente vejo esta indiferença como forma de aceitação, pois é algo que não incomoda. É algo que não lhe diz respeito.

Outra declaração interessante veio da filósofa Márcia Tiburi, ao criticar o conservadorismo de nossa sociedade, principalmente de jovens e mulheres, por reproduzir um padrão baseado no senso comum:

“A ditadura acabou e as pessoas continuam com medo de falar. Têm medo de que o outro vá fazer cara feia, de perder o espaço no jornal, o cliente, o convite para a festa. Nem entre amigos as pessoas têm coragem de dizer o que pensam. Parece que têm que viver agradando. A vida assim, sem autenticidade, vale a pena? Se eu não puder ser quem eu sou, valeu viver? Para mim, não. Já acho a vida e o mundo muito chatos. O que me machuca e dá dor existencial profunda, por exemplo, é ver jovem careta. Meninas jovens apregoando o casamento heterossexual, falando mal do aborto, criticando o corpo da amiga, fazendo fofoca.

As pessoas precisam entender que o Casamento Civil Igualitário não é uma questão que afeta religiões, não é algo que sequer lhes diz respeito, pois não interfere em nada, se uma igreja não quer que gays se casem é simples, que não faça casamentos. Mas estas igrejas não tem o direito de interferir em questões de Estado, em casamentos realizados em cartórios e também nas Igrejas inclusivas. Ninguém é obrigado a seguir ou se converter a um modelo de cristianismo conservador.

Até hoje, eu não vi nenhum argumento plausível que mostre indícios de que o Casamento Igualitário interfiriria em uma igreja. O que costumam afirmar é baseado em preconceito e intolerância.

Reconhecer o direito ao casamento é importante porque coloca todos os cidadãos em igualdade de direitos e obrigações, como está descrito em nossa Constituição.

O Estado que não reconhece o direito do casamento a uma parcela da população coloca estes cidadãos em desvantagem e em posição de inferioridade em relação aos demais. A maioria das pessoas não respeita indivíduos que julga inferiores. Este pra mim é um exemplo clássico de homofobia institucionalizada.

Termino com as palavras de Roberto Carlos:

“Todo ser humano tem o direito a felicidade. Se um gay casa com outro e não me causa problema algum, sou a favor. Porque ser contra a felicidade é loucura. São pessoas do mesmo tipo de nós. Temos que parar com esse tipo de preconceito.”

Todos tem o direito ao reconhecimento, ao amor e à felicidade.

Obs: Esta página sofrerá constantes atualizações com mais informações e personalidades.