Por Marcelo Gerald

Hoje circulou uma carta em nome de todo o movimento LGBT brasileiro, a nota continha erros grotescos a respeito do histórico de nossas conquistas, eu não julgo aqui a intenção, ou o que se busca com isto, mas penso que matar a história do movimento LGBT seja algo danoso ao próprio movimento.

O parágrafo mais problemático afirma:

“…Em 2003 com a criação do Programa Brasil sem Homofobia, conquistamos o reconhecimento pelo STF das uniões homoafetiva; a participação nas políticas sociais, o acesso Integral da população LGBT no SUS, o direito ao processo transexualizador…”

A nota completa você pode ler clicando aqui.

Apoio DilmaO trecho da carta cita o “Brasil sem homofobia” e induz quem lê a pensar que o programa teve relação direta com o reconhecimento da união afetiva no STF e isto não é verdadeiro,  no mais este programa nunca saiu do papel e nenhum de nossos presidentes eleitos no período democrático, seja Collor, FHC, Lula ou Dilma defenderam o casamento igualitário, pra ser mais honesto não se opuseram, mas foram vagos ao dar declarações, nenhum deles apoiou um projeto de lei ou emenda à Constituição neste sentido.

A união estável só foi possível a LGBTs graças ao julgamento da ação direta de inconstitucionalidade em 2011, proposta pelo então governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, esta ação não tem nenhuma ligação com o Governo Federal, o Supremo apenas interpretou a Constituição e reconheceu o mesmo direito já garantido a casais héteros a LGBTs, mas foi somente em 2013 por iniciativa do PSOL e da IBDFAM que o casamento LGBT foi reconhecido com a resolução da  CNJ n. 175., desde então ficou vedado aos cartórios, em todo o território nacional negar o casamento a LGBTs, ou seja, todas estas ações aconteceram no âmbito do Judiciário, embora elas tenham ocorrido no período em que o PT governava, nem o partido, nem seus respectivos presidentes tem algum tipo de ligação com elas.

Sobre o processo transexualizador citado na nota diversas trans acusam que os benefícios do SUS não saem do papel, apontam dificuldades em receber hormônios e pra conseguir cirurgias, alegam falta de médicos.

Considero preocupante ver parte do movimento LGBT manipular estes dados, a fim de ganhar apoio a Lula ou Dilma, não vejo necessidade de sujar a própria história, cada um tem o direito de apoiar este governo, ou até mesmo ser contra segundo as suas convicções, o governo Lula tinha uma comunicação melhor com os movimentos sociais, não posso deixar de reconhecer que foi no seu governo que tivemos a primeira conferência LGBT, e surgiu o disque 100, mas Dilma vetou diversas políticas públicas que assegurariam  a nossa cidadania, em seu primeiro governo não apoiou o PLC122, vetou o kit antihomofobia; em 2010 se comprometeu com fundamentalistas e também vetou diversas campanhas contra a AIDS voltadas a LGBTs, nós pagamos um preço alto por isto, o Brasil é o único pais de nossa região em com aumento nos números de contaminação  por HIV.

Nós estamos num momento político difícil, muita informação falsa está circulando, eu gostaria que a gente tentasse ter o mínimo de calma e analisasse o nosso momento histórico seriamente e não como uma torcida de futebol, sinceramente não me agrada ver a presidenta sendo julgada por corruptos, não sei qual será a saída pra nossa crise, mas mentiras já temos de sobra não precisamos perpetuar outras mais, o movimento LGBT no Brasil ao longo de sua história tem tido muita dificuldade de defender suas bandeiras, no geral a militância se perde com bandeiras partidárias, eu espero poder ver amadurecimento, se este não ocorrer seremos sufocados pelos nossos reais opositores, isto se já não estamos; leis que vetam qualquer discussão sobre preconceito de gênero estão sendo aprovadas em diversos municípios, está ocorrendo  perseguição a professores gays, nas últimas semanas vários LGBTs foram assassinados e o foco de grande parte da militância tem sido somente a defesa deste governo, enquanto isto os fundamentalistas estão fazendo a festa, por todos estes fatos não comemoro as bandeiras LGBT  hoje na Paulista.

O PT é hostilizado nas redes sociais pelo aquilo que muitas vezes nem é, o partido é acusado de defender bandeiras de esquerda, entre elas a do casamento LGBT, pode até defender, mas na prática não lutou pela sua aprovação ou reconhecimento, quando esta finalmente ocorreu, a presidenta Dilma não fez sequer um pronunciamento, por fim, gostaria de deixar um apelo, quando fizerem notas não assinem por todos LGBTs, eu tenho certeza que muitos de nós não concorda com isto.

Paulista

Parte do movimento LGBT sai em defesa do governo Dilma

(Visited 2.581 times, 1 visits today)