O Governo Censurou ou Não a Campanha Contra a AIDS voltada a LGBTs?

Por Marcelo Gerald

Esta semana muito se falou sobre o veto do governo ao filme do Ministério da Saúde que seria veiculado na TV e meios de comunicação.  O Ministério e a militância governista negaram o veto nas redes sociais, segundo eles não haveria veto, pois o filme teria sido feito, desde a origem, para ser exibido somente nos guetos gays, em boates e locais frequentados por esta minoria.

Será? Não foi necessário pesquisar muito para entender o caso.

O Ministro nega o veto. Reposta padrão que o Ministério da Saúde deu nas redes sociais:

Reposta do Ministério da Saúde ao Ativista Marcos Oliveira

Note que se retirarmos o primeiro parágrafo da resposta padrão, esta serviria até mesmo pra agradar um crente que reclamasse do teor dos vídeos.

A campanha teria foco voltado em LGBTs, justamente pelo aumento da incidência de casos de HIV nesta população em mais de 10%.

A documentação oficial da campanha desmente o ministério e mostra que desde a origem as peças teriam sido elaboradas para a TV, conforme figura abaixo abaixo:

Os vídeos 'praia' e 'boate' seriam exibidos na TV, antes e durante o carnaval, desde o dia 02/02 e o 3º vídeo na TV após o carnaval

O site oficial também desmente o ministério:

O que podemos concluir?

  • O Governo Dilma não toma nenhuma medida que desagrade evangélicos, mesmo estes representando pouco menos de 1/8 do Congresso Nacional,
  • Para o Governo a imagem diante de conservadores é mais importante que o combate à AIDS,
  • O Governo atende a homofóbicos e dá desculpas homofóbicas.
  • Dizer que o combate à AIDS dentro da população LGBT seria feito somente no gueto não é somente discriminatório, como também, mostra despreparo, pois há muito homem que faz sexo com outros homens e é casado com uma mulher. Há muitos LGBTs que não frequentam guetos e por fim, nem toda boate, bar e locais frequentados por homossexuais têm espaço ou telões disponíveis para exibição de vídeos, eu particularmente não vi o material desta campanha em nenhum local,
  • Combater a homofobia e a discriminação não é prioridade no Governo Dilma: Suspensão do programa “Escola sem homofobia” somada a esta censura podemos concluir que estamos diante de um governo oficialmente homofóbico,
  • O governo não se preocupa em corrigir seus erros em relação a LGBTs, mas corre pra apagar fogueiras com evangélicos, Dilma deu o recado à ministra das mulheres para acalmar religiosos em relação ao aborto e Gilberto de Carvalho já fala em parcerias com evangélicos, após ter feito críticas a eles.
  • Dilma deu sinais de preocupação e já fala em aproximação dos movimentos sociais, nesta semana usou termos corretos para se referir a LGBTs, pela primeira vez disse “orientação sexual” e não “opção sexual”. O que isso quer dizer? Além de a presidenta estar mais bem orientada, nada, pois não há medidas concretas.

E aqui vai um bônus:

A bancada teocrática comemora e assume a culpa

E um bônus antigo que denuncia a homofobia institucional:

Twitter do Blog do Planalto, após Dilma vetar o Escola sem Homofobia em 2011

Agradeço ao ativista Marcos Oliveira pelas coleta de dados e informações.

Para recordar e saber mais:

Campanha Censurada no Governo Dilma:

Campanha exibida no Governo Lula:

Campanha exibida no Governo FHC:

Matéria  da TVNBR confirma que a campanha de 2012 era pra ser exibida na TV:

Mais sobre a campanha no blog do Oswaldo Braga.

Com 11 dias de atraso o Ministério da Saúde liberou um outro vídeo pra campanha do carnaval na TV. Todos os vídeos elaborados inicialmente foram censurados e excluídos da Campanha na TV. (Informação adicionada no dia 13/02).

Novo vídeo provavelmente feito às pressas: