Por Leandro Oliveira

O pré-candidato a prefeitura de São Paulo pelo PT Fernando Haddad, se reuniu na quinta-feira (24) com a militância LGBT para firmar compromissos com este segmento em seu programa de governo. Haddad que foi Ministro da Educação e um dos responsáveis pela elaboração do Kit de Combate a Homofobia, deu uma entrevista ao site Mix Brasil, no qual afirmou concordar com Dilma quando esta vetou o Programa Escola sem homofobia.

De acordo com o candidato, Dilma teve esta atitude devido à nebulosidade e confusão geradas quanto ao objetivo do projeto. Vale lembrar que Dilma na época estava sendo pressionada pela bancada evangélica e vetou o programa assumindo que não viu o seu conteúdo.

Haddad afirmou ainda que o fato da presidenta e o Ministério da Educação ter considerado que o material não correspondia com a encomenda, e ter tomado a decisão de não distribuí-lo não diz nada a respeito do compromisso do PT com o combate a homofobia, “as pessoas querem vincular uma coisa a outra” disse.

Mas a pergunta é: Como a presidenta pode afirmar que o material não correspondia a encomenda se ela mesma assumiu que não viu o material? E ainda, como o MEC pode dizer que um material que ele mesmo produziu não estava de acordo com a encomenda?

É bom lembrar que o próprio Haddad, em fevereiro deste ano, deu apoio total ao kit e afirmou que “a verdade vai prevalecer sobre a mentira” como você pode ver aqui.

Parece que a mentira está prevalecendo até mesmo sobre o passado de Haddad que agora diz que o Ministério da Educação também considerou que o kit não correspondia à demanda. No começo deste mês, em entrevista para o Programa Amaury Junior, Haddad afirmou que o kit foi mal produzido.

Os fatos apresentados acima não nos levam a acreditar que o PT não possui um compromisso no combate à homofobia, mas sim que o compromisso com a mentirada fundamentalista esta acima de qualquer outra coisa. E é impossível não vincular uma coisa a outra.