Hoje ficamos estarrecidos com a notícia que Bolsonaro pode ser parte de uma peça publicitária da marca de lingerie Duloren. E este ainda se recusou a participar da campanha ao lado da transexual Adiadna porque “só toparia aparecer ao lado de uma mulher e não de um homem” sendo que a empresa afirma: “Lembrando que a Duloren jamais se posicionou como uma marca homofóbica ou com qualquer tipo de discriminação.”

Nós, do Eleições Homofobia Já Era, entendemos que todas as empresas devem ter responsabilidade ao vincular sua imagem a conteúdos que possam ser ofensivos a um ou vários grupos sociais. Isso faz parte da tão falada responsabiliade social que tanto se persegue atualmente.

Quando falamos vários grupos sociais, entendemos que não somente LGBT’s serão atacados, difamados e ofendidos por este parlamentar e que já noticiamos várias vezes em tal publicidade. As mulheres também são alvo e suas agressões. Você mulher ou que tem esposa/namorada/mãe/irmã/amiga/cunhada/etc gostaria de usar ou que alguém usasse uma marca cujo garoto propaganda tem estas atitudes, fora os casos de racismo e homofobia:

Por estes motivos, repudiamos a atitude da Duloren Brasil em fazer uso da imagem de uma figura que simboliza a homofobia, o machismo, o racismo, a misoginia, o sexismo e que, ao invés de ser repudiada, está sendo “glorificada”.
Proteste você também twittando a tag #BoicoteDuloren e usando os canais de contatos da empresa:

Contato do site: http://www.duloren.com.br/#/contato/
Facebook da empresa: http://www.facebook.com/duloren
Twitter da empresa: http://twitter.com/DulorenBrasil

O combate ao preconceito tem que ser levado a sério ao invés de ser alvo de piada e desdém em peça publicitária. Flertou-se com o extremismo na Europa e este fez 77 vítimas da Noruega. Não queremos que este flerte resulte em mais legitimação da violência em território brasileiro.