Beijaço contra homofobia: É hora de correr contra o tempo.

Por Thiago Rufino

 Há evidencias que Pernambuco sempre foi tímida no combate a homofobia, a prova disso é o alto índice de assassinatos a LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis). Na parcial do ano passado, o Estado liderava o ranking como a unidade da Federação onde mais se assassinou homossexuais no Brasil segundo o Grupo Gay da Bahia, e não é a primeira vez que isso acontece.Em 2010 fomos medalha de prata nos assassinatos de homossexuais.

Vivemos em uma parte do Brasil extremamente homofóbica e machista, onde se deseja que os homens se enquadrem no padrão masculino hegemônico e socialmente construído, onde lésbicas têm a sua identidade questionada todos os dias e aqueles que ousam questionar essa ditadura são taxados de anormais e imorais.

É comum conhecermos homossexuais que anulam seus desejos e abdicam da sua vida com medo dos defensores “da moral e dos bons costumes”. Tivemos o notório caso dos estudantes Neilton Lopes, de 20 anos, turista de Belo Horizonte e o universitário recifense Walace Fontenele que em pleno carnaval, festa sobre o qual o PE é conhecido mundialmente, foram abordados violentamente por policiais. Os rapazes foram expostos a constrangimento diante do público que se encontrava no local pelo simples fato de estarem se beijando. Exatamente! Constrangidos pelos profissionais que deveriam proteger essa minoria contra qualquer ato violento ou constrangimento.

E agora temos outro triste exemplo, o caso das universitárias que foram constrangidas no restaurante “Socaldinho Camarão” (localizado na Rua Magina Pontual, em frente ao antigo Laçador na praia de Boa Viagem) por terem trocado dois selinhos. O maitre advertiu que aquele ambiente era de “família” e que elas não eram um casal “normal”-

As estudantes tomaram coragem e fizerem as denúncias necessárias contra o estabelecimento, elas tinham conhecimento que no seu município há uma lei, a de nº 17.025/04, que protege homossexuais, bissexuais ou transgêneros de qualquer ato discriminatório. A nossa Constituição diz, em seu Art. 3º:

“Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação [...]”

Além de garante em seu Artigo 5º que

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”

O exposto nos referidos artigos não condiz com a nossa realidade social, pois somos o país que mais mata homossexuais no mundo e mesmo assim não temos uma legislação especifica contra a homofobia. Somos também um país que nega aos LGBTs o direito ao casamento e que os deixa todos os dias à mercê da marginalização como cidadãos de direito. Por esses motivos o Brasil está sendo ameaçado de ser denunciado a ONU (Organização das Nações Unidas) por negligência e omissão no combate a homofobia.

Os dados parciais de 2012 são assustadores: 81 homossexuais foram mortos até 18 de março 2012, a cada 20 horas um gay é morto com requintes de crueldade pelo simples fato de ser gay(GGB).

Não podemos nos render a homofobia! E é inspirado no ato do casal de Lésbicas que foram oprimidas no caso do bar Socaldinho Camarão, e em sua coragem de denunciar e seguir em frente nesta luta, que convoco todo o Estado de Pernambuco para um Beijaço contra a homofobia que será realizado em frente ao local no dia 24/03/2011 as 13hrs onde iremos mostrar a normalidade da homossexualidade e dizer que :

“Nós podemos, mas não vamos escolher o caminho da rendição.” (Woodrow T.)

Thiago Henrique Rufino Gomes
Secretário De Articulação Política
Grupo Homossexual De Paulista